O GRANDE ENCONTRO (Versão rubinense)


247360_114340845320809_100002346824362_138046_3189293_n1Escrevo em poucos versos

Um causo muito engraçado

Do encontro de dois elementos

Que em Rubim foram eternizados

Viveram em dois momentos

Marcaram presente e passado

Zé Pipa chega ao céu

Com seu jeito de malandro

Vai logo perguntando

Em frente à grande porta:

Será que é um boteco?

Minha vista tá meio torta

Tô doido prá virar o caneco

Ô cidadezinha morta!

O grande portal se abre

Pra surpresa do cachaceiro

Ele entra admirado

Ainda desconfiado

Com seu jeito cabreiro

 

Pipa logo dá de cara

Com outra figura rara

Franzino que nem um bode

Diz ele: como é que pode?

Um sujeito da sua iguala

Pisar aqui nesta sala?

 

Pipa disse:

Não me trate desse jeito

Fui homem de muita fama

Tá pra nascer um sujeito

Que com esse nome se chama

E enche de orgulho o peito.

 

Tu achas teu nome bonito?

Disse o outro num só grito

Pois meu “PX” é abreviado.

Alguns acham obceno

Outros acham engraçado!

 

No lugar de onde vim

Eu era muito conhecido

Todos gostavam de mim

Quase me elegi prefeito

De tanto que era querido!

Meu nome atrapalhou um pouco

E não pude ser o escolhido.

Pipa retrucou: de onde vim eu também

Mandava e desmandava

Valente, festeiro e rico como ninguém

Todo mundo me admirava

Aposto que o meu lugar

É melhor do que onde você reinava.

 

O outro responde logo:

Mas isso não acontece

Nem mesmo em brincadeira

O meu lugar tem uma serra

E também muita ladeira

Um punhado de gente boa

E um sol de rachar moleira.

 

Disse pipa:

Até parece que o seu

É o mesmo que o meu lugar

Mas se eu Zé Pipa

Não tivesse reinado lá

Diria que tu, desconhecido

Ali também teria vivido.

 

Zé Pipa é você?

Pergunta o outro admirado

Já te conheço daqui, safado

Nosso lugar é o mesmo

Agora tu tá no céu

Prazer, sou Manezim Pixéu!

 

Mas é uma honra tremenda

Encontrar o próprio PX

Pruziar com uma lenda

É uma felicidade sem fim

E falar que sou do Rubim.

 

Já ouvi muito sobre tu

Vamos procurar um boteco

Pra gente virar o caneco

Disse pipa animado

Contar uns causos fora de mentira

Aqui isso é um grande pecado!

E a prosa não acabou mais nunca…

Por Rangel Moreira

Categories: Informações | 5 comentários

Navegação de artigos

5 thoughts on “O GRANDE ENCONTRO (Versão rubinense)

  1. elvys oliveira

    Que sensacional isso. Coisas de Rubim rebocada e rebuscada com uma arte “criativada” dessa. Muito bom! Parabéns Kawan.

  2. Rui Barros Freitas

    Conheci todos os dois Na ladeira do espinheiro Desceram disimbestados Foram morrer no meu Terreiro.

  3. Que legal, também tive uma boa convivência, afinal fomos VIZINHOS, Rubim tem muitas histórias inclusive nas próximas pode acrescentar “Bugui-hugue, João Gavão, o Mudinho, Nossa Homenagem em caminhada ao antigo funcionário do CORREIO.”…

  4. Muito bom! Rubim e seus grandes nomes… Parabéns pelo texto Ranja…

  5. Renato Fernandes da Silva

    Enviado do Yahoo Mail no Android

|| EXPONHA SUA OPINIÃO ||

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.

%d bloggers like this: