Seca castiga Rubim


Estiagem volta a rondar a terrinha

A água se tornou um artigo de luxo e a chuva uma turista ausente. Esta é a situação vivida pelos habitantes de Rubim, que além da água, sentem falta de ações efetivas para combater o agravamento da ausência dos recursos hídricos no município. Ano após ano, os cursos d’água se tornam cada vez mais periódicos, e sem atuação do poder público na identificação e enfrentamento, a questão se agrava e trás para a cidade problemas conhecidos dos moradores mais velhos, a seca.

A atual seca que assola Rubim advém da alteração internacional da distribuição pluviométrica causada pelo mais forte El Niño da história. Esse fenômeno, caracterizado pelo aquecimento do Pacífico, alterou diretamente a distribuição das chuvas no baixo e médio Vale no Jequitinhonha, trazendo a estiagem não apenas para Rubim, mas para diversas cidades da região que tem como característica climatológica o “veranico”, fenômeno conhecido por concentrar entre os meses de Dezembro e Fevereiro, mais de 50% de toda a precipitação esperada para o ano.

12470037_991551644215443_423002862_o-001

Com o auge da escassez, a população vive o caos da ausência de água para seu uso domestico básico e sofre em pensar que isso pode ser uma rotina sinistra para este ano. Para combater o problema, a principal zona urbana se vira com apenas um caminhão pipa para abastecer as casas, além do abastecimento semanal das caixas d’água e a busca de água direto na sede da Copasa, Companhia de Saneamento de Minas Gerais. Uma alternativa a médio prazo seria a ampliação da barragem na Cascalheira, em Almenara, além da intensificação da preservação desse ecossistema. Outra opção é a barragem ser ligada, também em Almenara, ao Rio Jequitinhonha, que tem um potencial hídrico maior e seria mais seguro para os moradores de Rubim.

Contudo, o problema não é uma novidade e trás a tona a ausência do perfil técnico e visionário que vive os gestores do município, tanto no enfrentamento da questão, quanto no investimento para prevenção e conscientização da população, principalmente a rural para preservação de suas propriedades.

Em um diagnóstico ambiental de Rubim publicado em 2009 no blog Made in Rubim, Ivanilson Costa, fundador da ONG VOKUIM, apresenta um dado alarmante sobre a preservação de apenas 7% da Mata Atlântica no município, que é um dos mais devastados do baixo Vale do Jequitinhonha. Este percentual reflete na preservação da mata ciliar e na caótica situação das nascentes. Em 2009 havia quatro nascentes, de um total de 29, devidamente preservadas, enquanto 25 estavam à deriva completamente pisoteada pelo gado. Em outro texto publicado no blog Made in Rubim, Djalma Marcelino Duarte, Engenheiro Agrônomo, adverte sobre um processo de desertificação avançado em Rubim devido ao desmatamento indiscriminado, queimadas, ausência de matas ciliares, atividades intensas de agricultura e pecuária. Estes são alguns dos graves problemas ignorados pelos gestores de Rubim ao longo do tempo, o que pode significar a intensificação do processo de desertificação e a ampliação dos efeitos da não preservação dos ecossistemas do município para os seus moradores.

Portanto, tendo em vista a situação atual, um importante passo seria a decretação de um Estado de Emergência – o que já devia ter sido feito – que consiste em um reconhecimento legal pelo poder público de uma situação anormal causado pela seca, o que está ocasionando sérios danos à comunidade rubinense. Desta forma, Rubim integraria o grupo de cidades mineiras que sofrem com a ausência da água e se tornaria alvo de recursos anunciados pelo governo estadual para enfretamento da seca no estado e pelo governo federal, que anunciou o reconhecimento da condição calamitosa de cidades vizinhas que já anunciaram situações de emergência, como Almenara e Jacinto, municípios banhados pelo rio Jequitinhonha e suas principais zonas urbanas não enfrentam racionamento. Enquanto no programa do estado de MG, estão previstas perfurações de poços em comunidades, aquisição de caminhões pipa e fortalecimento da agricultura familiar, com investimento total de R$33 mi.

12471026_991551637548777_802049508_o-001

CONFIRA A PREVISÃO DO TEMPO PARA RUBIM, CLIQUE AQUI

Fonte: Diário Oficial da União; Imprensa Oficial do governo de Minas Gerais; Defesa Civil de Minas Gerais.
Fotos: Rangel Moreira
Categories: Geografia, Geologia, made in rubim, Passeios Ecológicos, Rios e Córregos, rubas, Rubim MG, rubim vale do jequitinhonha, vale do jequitinhonha | Deixe um comentário

Navegação de artigos

|| EXPONHA SUA OPINIÃO ||

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: